terça-feira, 31 de maio de 2016

Acupuntura ,ajuda a curar doenças em pets

Hoje em dia existe uma variedade  de tratamentos alternativos que o mercado pet vem trazendo a disposição para inovar ainda mais o mundo dos nossos bichinhos de estimação. Um desses tratamentos  é a acupuntura para cães e gatos .
 Acupuntura vem do termo latim “acus” que significa agulha e do termo “pungere” que significa puncionar. É uma ciência antiga que tem como objetivo restabelecer o equilíbrio do organismo através de reações físicas específicas provocadas pelas agulhas.

Acupuntura em gatos 

A acupuntura veterinária existe desde os antigos tempos da Dinastia Chang, que durou do ano 1765 a.C. até 1123 a.C., e era comumente utilizada em cavalos, de sacerdotes, feridos.
Desde então várias técnicas foram desenvolvidas para a aplicação da acupuntura em animais diferentes. A acupuntura em animais domésticos, como o cão e o gato,se tornou mais popular no Ocidente, principalmente na Europa e nos Estados Unidos.
A acupuntura para animais funciona do mesmo jeito como funciona para os humanos. A diferença entre elas é basicamente o tamanho e a espessura da agulha.
A acupuntura pode ser trabalhada de forma preventiva, em filhotes cujo os pais já tenham histórico de problemas de saúde ou complementando outros tratamentos.
O método chinês é um ótimo aliado principalmente em problemas de locomoção. Em muitos casos, o animal que sentia tanta dor a ponto de não andar, melhora.   Quando não é bloqueio, hernia, calcificação ou doença degenerativa, a acupuntura pode devolver o movimento do pet.

Acupuntura em cães

O número de sessões depende muito da patologia e do estado do bichinho.
A técnica ainda é pouco procurada, principalmente por todas as vantagens que oferece. Embora a procura pelo serviço tenha aumentado bastante, o número de profissionais que trabalha com acupuntura e o número de veterinários que indica como tratamento auxiliar é pequeno.

domingo, 29 de maio de 2016

Beco da Esperança

Hoje estou aqui para falar da ong Beco da Esperança , que ajuda gatos  e alguns cães que foram abandonados ou sofreram maus  tratos .
Eles começaram em 2006  com 100 gatos , a maioria que chega é ninhada , gatos adultos em que estão em situação de risco ou muito machucados .Eles não recolhem animais os que entram no abrigo são abandonados na porta  .
Atualmente eles tem 500 gatos  e 50 cachorros, eles fazem adoção desses animais recolhidos  .Eles precisam de doações  para continuar esse trabalho   de ajuda .

Como ajudar  o Beco da Esperança
Com trabalhos voluntários  : Ajudar em eventos,bazares ,feiras , tosadores e pessoas que tenham experiência em dar medicamentos em animais .
Pessoas que tenham carros  para poder levar animais para serem castrados .

Doações em dinheiro :

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL (PODE SER FEITO EM CASA LOTÉRICA)
Banco: Caixa Econômica Federal
Agência: 0586
Conta Poupança: 013 00021732-7
Favorecida: Maria Lucia Pascotto

Também necessitam  de doação dos seguintes itens:

Ração para cães e gatos adultos e filhotes
Jornal e sacos plásticos
Material de Limpeza
Cobertores e panos velhos que possam forrar as caminhas
Cestas ou caixas que possam servir como caminhas
Casinhas de madeira nova e também usadas
Roupas usadas para serem vendidas no brechó usual e brechó chique
Utensílios e objetos que possam servir de prenda em feirinhas ou bingos
Objetos usados que ainda tenham valor comercial para venda
Patrocínio na confecção de adesivos, camisetas ou canecas

Quem for de Curitiba e quiser conhecer melhor o trabalho deles ou mesmo  fazer a doação pessoalmente segue o endereço .E  o site  logo abaixo .
R. Eng. Rebouças, 2846. – Curitiba  Prox. ao Estádio do Atlético PR

O site  do Beco da Esperança
http://www.becodaesperanca.org


sábado, 28 de maio de 2016

Pretzel a vida vale a pena

Estas gatinhas nem deveriam ter sobrevivido. Elas nasceram com deficiências consideráveis e seus antigos donos deixaram as três para morrerem em um aterro apenas algumas horas após o seu nascimento. Elas tinham enormes deformidades de nascença nas patas.
Felizmente, os atentos funcionários do aterro perceberam que os pequenos animais realmente tinham uma chance de sobreviver e os entregaram para Laura e sua neta, que ficaram com eles e os nutriram. "Eu senti que eles podiam viver e que valia a pena tentar", disse a avó em uma entrevista.

Infelizmente, uma das gatinhas morreu. A pequena fêmea morreu durante a primeira noite. As outras duas, Curly Sue e Pretzel, conseguiram se desenvolver normalmente. Elas comeram, miaram e cambalearam, assim como todos os filhotinhos de gatos fazem. Apesar de suas deformidades, elas continuaram a crescer.
Mas a história teve uma triste reviravolta e a menorzinha, Curly Sue, também morreu. A perda impactou Pretzel fortemente. Elas eram muito próximas uma da outra, mas a gatinha não se deixou abalar completamente. Ela continuou crescendo e se desenvolvendo. "Ela sabia que nada daria errado para ela", disse Laura. "Ela não era uma gata como outra qualquer."
Oito meses depois, Pretzel encontrou uma nova dona. Uma jovem que queria adotar um gato viu o vídeo dessa gatinha especial no Youtube. "Eu me apaixonei por ela imediatamente.", disse a nova dona.

Quando a jovem conheceu Pretzel pela primeira vez, estava claro que ela adotaria a gata. "Eu quis cuidar dela e dar a ela este sentimento de amor e um senso de segurança." Uma confiança profunda e um carinho palpável se desenvolveram entre as duas. Apesar de ter sido um grande desafio para a nova dona ficar com o animal, ela está muito feliz hoje de que tenha decidido pela adoção.
Uma história muito emocionante e que realmente nos toca. Felizmente, Pretzel encontrou pessoas que não tiveram medo de lidar com necessidades especiais.

Fonte : Não acredito .com .br 


quarta-feira, 25 de maio de 2016

Meu animal de estimação fraturou a pata e agora o que faço ?

Cães e gatos são muito ativos, gostam de experimentar novas sensações e conhecer novos lugares. Assim, às vezes, vão a locais não muito seguros, caem e se machucam, ou, até mesmo, são atropelados em uma fuga, quando ocorrem fraturas ósseas.
Gato com a pata fraturada 

Quais são os tipos de fratura?
A fratura pode ser classificada de duas maneiras: interna ou exposta. A interna é quando não há o rompimento da pele, ou seja, não é possível ver o osso. Já na exposta a pele se rompe e o osso é visualizado.

 O que fazer em  casos de fraturas

Cuidadosamente, coloque o seu animal de estimação em uma superfície plana de apoio. Ao transportar seu animal de estimação ferido a um veterinário , use uma maca (você pode usar uma placa ou outra superfície firme como uma maca, ou use um tapete ou cobertor como uma rede). Se possível, proteja o animal de estimação na maca (certifique-se de não colocar pressão sobre a área lesada ou o peito do animal) para o transporte. Isso pode ser tão simples como enrolar um cobertor em torno deles.

Você pode tentar firmar a fratura com uma tala caseira, mas lembre-se que uma tala mal colocada pode causar mais mal do que bem. Em caso de dúvida , é sempre melhor deixar a bandagem e talas para um veterinário.

Cachorro  com a pata fraturada  

Fique atento na recuperação do seu animal de estimação

Há casos nos quais a cirurgia não é necessária e apenas a imobilização é feita. Nesses casos, o médico marcará um retorno e nesse período, ás vezes, o animal precisará tomar anti-inflamatório por alguns dias.
O período de imobilização varia de acordo com o local da fratura, o tipo, a idade do animal, as condições nutricionais entre outros. Para que tudo dê certo é muito importante que toda a orientação passada na clínica seja seguida a risca. Qualquer alteração ou novo sinal clínico que o animal apresente, o proprietário deve levá-lo novamente ao médico veterinário para que seja examinado.


segunda-feira, 23 de maio de 2016

Diarreia em gatos , causas e tratamento

Relativamente comum no mundo dos animais, a diarreia em gatos é um sintoma que pode se manifestar nos bichanos em função de muitos problemas diferentes; e, por isso, se torna uma complicação que merece ser bem investigada, já que pode indicar a existência de alguma doença mais séria.

Embora nem todos os casos de diarreia em gatos signifiquem, de fato, que há algum problema grave com o gato, a observação dos sintomas e da evolução do quadro é importante.

Causas de diarreias em gatos

Algumas doenças apresentam a diarreia no gato como sinal
Nos gatos, por exemplo, a diarreia é algo muito comum e existem diversas causas. Em gatos ainda filhotes, parasitas intestinais podem ser os grande vilões.
Os sinais apresentados nos animais com diarreia por causas parasitárias, como verminoses, coccidiose, ancilostomíase, criptosporidiose e giardíase, são:
perda de peso,diarreia,crescimento deficiente,sangue nas fezes,fraqueza, desidratação,alteração de cor das fezes.
A causa pode estar nas mudanças alimentares, alimentos em excesso, viroses e também por parasitas que podem causar diarreias tão fortes quanto se fosse por virose e com um aspecto pastoso e amarelado.
Gatos adultos podem ter esse sinal devido às mesmas causas que os gatos ainda filhotes, mas os adultos também podem apresentar patologias como doença renal ou hepática, pancreatites, deficiência no funcionamento da glândula adrenal, tumores intestinais entre outros. Nesses casos, porém, a diarreia está associada a outras manifestações, sendo considerada apenas um sinal.

As doenças ou condições que têm como causa a diarreia podem ser:

bolas de pelo ou objeto estranho que causa um bloqueio;
toxinas;
mudança na alimentação;
sensibilidade ou intolerância alimentar;
doença inflamatória  intestinal;
obstrução intestinal;
doença hepática;
doença renal;
hipertireoidismo;
diabetes mellitus;
pancreatite;
doenças intestinais;
infecções fúngicas.
 Em alguns casos, o envenenamento de gatos pode causar a diarreia que, geralmente, aparece acompanhada por vômitos. Além do contato com produtos tóxicos, esse quadro pode ser causado após a administração de um medicamento inadequado para seu gato. Por isso, é tão importante seguir as recomendações do veterinário.

Tratamento para diarreia felina
Quando perceber que seu animalzinho está com diarreia, procure fazer com que ele beba bastante água ou soro caseiro  .

 Receita  do Soro Caseiro
1. Misture em um copo de água limpa (200ml), filtrada ou fervida (mas já fria) com uma colher (do tipo de cafezinho) de sal e duas colheres (do tipo de sopa) de açúcar.

Isolamento:
Seria importante isolar o gato com diarreia para não contaminar os outros gatos/cachorros, por um período de 7 dias. Prepare uma caminha quentinha em um lugar limpo para ele descansar. Não esqueça de deixar uma caixa de areia exclusiva para ele, e de limpá-la sempre que seu gato a usar, ou no mínimo duas vezes por dia. Se nesse período ele estiver comendo normalmente e brincando, pode soltá-lo com os demais gatos/cachorros.

Alimentação:
Não retire a comida do gato adoecido, mas dê somente ração, se possível de qualidade. Nada de comida de humano, muito menos leite. Nem um animal deve ser tratado com comida, somente com ração seca e muita água.
 No caso de um quadro permanente, leve o gato a um veterinário e siga todas as recomendações.


sábado, 21 de maio de 2016

Como fazer um arranhador para seus gatos

É desanimador chegar do trabalho cansada(o) e ver seu lindo sofá e móveis todos arranhados  não é?  Tudo por culpa do nossos gatinhos  de estimação , que adoram brincar com coisas que não devem… Então, seus problemas acabaram! Para os amantes dos felinos, apresento-lhes um arranhador para seu gato


FERRAMENTAS:

Martelo para bater cada fileira de corda contra a última quando você vai enrolando a corda no poste.
Broca para fazer buracos na base e com chaves de fenda para parafusar seus parafusos.
Estilete ou faca para cortar o seu tapete e sua corda. Nota: estes são navalhas, por isso tome cuidado.
Grampeador tipo pistola para anexar o tapete à base.
Serra circular ou de mesa para cortar seus componentes
Pistola de cola - Uma tipo comum de pistola de cola quente poderia ajudar a colar a sua corda no poste, assim como o seu tapete à base.
Régua para verificar que você está fazendo um poste relativamente reto.
Luvas de trabalho para segurar a corda e colocar alguma tensão quando você enrola.
Corda de Sisal
Tapete duro ou carpete   da cor que desejar

MATERIAIS:
Corda: Deixe-me falar com você por um momento sobre corda de sisal . Muitos fabricantes de arranhadores usam corda sisal de 6 mm. Eu lhe aconselharia usar uma de 9,5 mm. Vai fazer o seu poste durar muito mais tempo. Além disso, descobri que a corda sisal brasileira é mais fácil de trabalhar, e também é razoavelmente seca. Quero com isto dizer que não é muito oleosa.Independentemente das reivindicações dos grandes web sites de mobiliário para gatos, a corda sisal tem que ser um pouco lubrificada a fim de passar nas máquinas das fábricas de corda sisal. Sim, amigos, a corda sisal é feita numa fábrica, não à mão, com tecido, num país do terceiro mundo. Então, procure a sisal brasileira de 9,5 mm. Um bonito e alto poste vai exigir não mais que 60 metros dela. Você pode comprar a corda em comprimento contínuo, e eu o aconselharia a fazer isso para evitar ter de emendar pedaços. A corda sisal é muito áspera, e quando você estiver enrolando seu poste, você precisará usar pelo menos uma luva para segurar o fim da corda. Nota : não molhe  esta corda. Isto pode fazer com que mofo cresça no seu produto acabado. Além disso, não tem nenhum propósito útil. A corda sisal tem um pouco de elasticidade, e se você esticar enquanto enrola a corda, ela vai ficar firme o suficiente durante toda a vida do arranhador.

Poste: Existem várias opções de postes. Se quiser um poste de madeira, você pode encontrar postes razoavelmente arredondados em uma loja de artigos de cerca. Se você quiser algo perfeitamente redondo, você deverá procurar um tubo de papel grosso. Coloque madeira serrada bem apertada no tubo. Pode até ser por todo o comprimento do tubo. Você pode cortá-la para que ela apenas fique na parte de dentro do tubo com a ajuda de um martelo. Prenda essa madeira com alguns pregos. A madeira também servirá para ancorar o seu tubo na base. Se você for usar poste de madeira arredondado, certifique-se de que é bem reto, e que não tem fendas que possam comprometer a integridade do produto acabado.

Base: Muitas casas possuem peças de madeira compensada, e qualquer painel de madeira compensada funcionará bem, desde que ele tenha as seguintes propriedades: não esteja empenado, tenha no mínimo, 9 milímetros de espessura, e pelo menos 40 centímetros quadrados. Uma boa regra é fazer a sua base pelo menos 60% da sua intenção de altura do poste. Então, um poste de 80 centímetros de altura vai precisar de uma base de aproximadamente 48 x 48 cm.

Tapete: Se você estiver usando carpete, eu sugiro carpete de pelo cortado (cut pile) ou plush. Estes tipos de carpete são mais fáceis de trabalhar do que o Berber ou carpete comercial. Em geral, eles também deixam o poste mais atraente.
Outros materiais: parafusos drywall, parafusos lag (se você quiser ter uma conexão de ferro na base), arruelas para atender aos parafusos, pregos de 2,5 cm (para apertar a corda no poste), grampos (de pelo menos 1,25 cm de comprimento).

ETAPAS BÁSICAS:
Corte todos os seus componentes. Corte o tapete quadrado, pelo menos, 7 centímetros maior do que a madeira compensada. Corte um buraco no centro do tapete para que o poste caiba na base.
Coloque tudo junto (exceto a corda) para verificar o seu design. Ajuste conforme necessário.
Corte um buraco no centro do carpete da sua base para permitir que o posto caiba exatamente no painel. Anexe o carpete à base usando o grampeador tipo pistola ou a cola. Dobre o tapete do lado de baixo da base e prenda-o.
Enrole o seu poste. Certifique-se de que a corda está apertada, e que não existem espaços entre as linhas. Use o martelo para isso. Você pode juntar as pontas com o prego e / ou cola. Certifique-se que os pregos estão realmente presos. Não há necessidade de conduzir os pregos durante todo o processo de enrolar a corda, mas se você ficar cansado ou for interrompido, você pode usar um para segurar a corda no lugar. Quando você retomar, puxe a haste de volta para fora. Enrole a corda até o topo, e use vários pregos para prendê-la. Você pode colocar carpete no topo do poste pra dar um melhor acabamento, ou você pode enrolar a corda ao longo do topo, e terminar aí.
Verifique se você tem todos os seus buracos pré-perfurados. Na base, você faz um furo um pouco maior do que os e parafusos. Afixe o poste arranhador do gato à base, e com as 2 seções de cabeça para baixo, perfure no seu poste, com buracos apenas um pouco menores do que quaisquer parafusos que você está usando.


Coloque os seus parafusos nas arruelas e parafuse através da base até o poste. Seria bom ter 2 mãos extras para isso. A não ser que você seja um humano de 4 mãos, chame um cônjuge ou um amigo para vir dar-lhe uma mão segurando a estrutura, enquanto você faz essa parte.
Consiga um pedaço de linha que é, pelo menos, duas vezes maior que a corda. Coloque seu poste arranhador acabado perto de uma cadeira confortável e deixe a linha ao longo do topo do poste, deixando-a cair até o chão o comprimento do poste. Quando seu gato chegar para investigar, puxe a corda muito lentamente de modo que a extremidade livre fique sobre o poste. Seu gato deve seguir, e ele vai muito provavelmente achar que você acabou de fazer uma coisa bem legal para ele!

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Samuvet serviço de atendimento médico móvel para animais

Você já parou para pensar  que quando acontece um acidente , envolvendo animais  não vem uma ambulância  como vem para os  humanos ? Essa realidade está mudando  em algumas cidades do Brasil , Com o projeto Samuvet  proposto pelo  vereador Nelo Rodolfo  (PMDB) a Câmara municipal de São Paulo   .


O que é o Samuvet  ?

Samuvet Serão ônibus equipados para funcionarem como verdadeiros hospitais veterinários, com o auxílio de ambulâncias. 
Ambulância do Samuvet

Esses veículos circularão pelos bairros da cidade, para prestar serviço de vacinação, vermifugação, castração e chipagem, além de prestar atendimento médico. TUDO DE GRAÇA. Casos complexos serão levados para atendimento em hospital veterinário ou hospital municipal.
O projeto de criação do SAMUVET prevê que cada veículo terá uma equipe completa, com cirurgião, anestesista, assistente e motorista para darem o melhor e mais rápido atendimento possível para os cães e gatos que estiverem doentes. Além disso, um educador sempre acompanhará as equipes, para explicar a importância da vacinação, outras necessidades dos animais e orientação para ajudar na guarda responsável. 
Quase toda residência tem um cachorro ou gato. O SAMUVET é um serviço que garante o atendimento mais digno dos animais. São Paulo tem dois hospitais municipais, mas eles não dão conta da demanda. Além disso, muitos moradores, principalmente quem mora nos bairros mais distantes, não têm condições de levar seu cachorro ou gato para ser atendido.
O serviço ainda não atende a todas as cidades  brasileiras .


quarta-feira, 18 de maio de 2016

Animais ganham banheiro exclusivo em aeroporto de NYC

Entre os banheiros feminino e masculino, a plaquinha indica: ali é lugar de cachorro . O aeroporto internacional John F. Kennedy, em Nova York (EUA), inaugurou há poucos dias uma área exclusiva para os pets fazerem suas necessidades.
O local conta com grama artificial para estimular os animais a fazerem suas necessidades e sacos coletores especiais para os tutores limparem. A regra é deixar tudo limpo e organizado para o próximo animal.


O banheiro, de 70m², permite que cães, gatos e outros animais se aliviem sem que os tutores precisem levá-los para fora do aeroporto, evitando o transtorno de passar novamente pela segurança.

E agora é lei nos EUA, que até agosto desse ano, todos os aeroportos do país que recebam mais de 100 mil passageiros tenham um área exclusiva para os pets. A razão dessa regra não é apenas o crescente número de viajantes que querem levar seus bichos de estimação junto. O foco mesmo são os animais de serviço: entre eles, cães-guia para cegos e cães de terapia, que ajudam as pessoas a lidarem com o estresse de voar, por exemplo. Mas… todos os demais também são bem-vindos –inclusive gatos.

terça-feira, 17 de maio de 2016

Gato persa parte 2

Persas têm desfrutado de um longo reinado entre os aficionados e tem se destacado em shows desde 1871, ano da primeiro exposição moderna de gatos realizada no Crystal Palace de Londres.
Persas existem há mais 125 anos.

Gato Persa Negro

Gato Persa negro


O gato persa negro, que é uma das raças de pelo comprido mais antiga, nunca foi muito popular. Não costuma aparecer em exposições, sobretudo porque a pelagem perfeitamente negra é de difícil seleção. Seu pelo tem de ser absolutamente negro, sem nenhuma mancha ou reflexo.
  Por outro lado, os gatos pretos em geral são considerados portadores de azar, segundo a crença popular. De qualquer forma, os persas negros são sempre admirados nos raros concursos em que aparecem.
  O corpo desse animal é ligeiramente rechonchudo, sem ser pesado.
 Sua cauda é relativamente curta e grossa. A cabeça, redonda e grande, é marcada pelo nariz pequeno, focinho largo e bochechas cheias. Os olhos grandes, alaranjados ou cor de cobre.

 Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnívora
Família: Felidae
 Características:
Comprimento: cerca de 35 cm
Cauda curta e grossa

Gato Persa Branco



Gato Persa branco

  O gato persa branco, que se acredita ser de origem chinesa, tinha primitivamente olhos azuis. A maioria dos animais era atacada por uma surdez hereditária, aparentemente ligada à cor azul dos olhos. Por essa razão, já há vários anos, os criadores desse gato têm procurado desenvolver uma nova variedade: o persa branco de olhos alaranjados, que não apresenta o problema da surdez.
 A pelagem dos gatos brancos de pelo longo é particularmente frágil e difícil de cuidar. Como poucos gatos gostam de água e sabão, os gatos brancos frequentemente parecem ter cor amarela. Mas isso é apenas por causa da sujeira. Por outro lado, não é aconselhável expor esses animais à umidade e ao frio. Por isso, o melhor é usar um xampu especial para limpá-los.
A pelagem do gato persa branco é macia e sedosa, alvíssima. Ele tem o corpo rechonchudo, as patas fortes e curtas. A cabeça é redonda e das orelhas saem tufos de pelo. Os olhos, grandes e redondos, podem ser azuis, safira ou alaranjados.

Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnívora
Família: Felidae
 Características:
Comprimento: cerca de 35 cm
Cabeça redonda

Gato Persa Escama de Tartaruga


Gato persa escama de tartaruga 

 Quase todos os gatos persas escama-de-tartaruga são fêmeas. os poucos machos existentes quase sempre são estéreis. Isto acontece porque o padrão é muito difícil de ser seguido. A fêmea deve acasalar com um macho de cor uniforme e muito frequentemente as ninhadas não contém nenhum gatinho escama-de-tartaruga.
  Existem quatro variedades desses gatos: o escama-de-tartaruga (tricolor), o escama-de-tartaruga azul, o escama-de-tartaruga branco. A variedade escama-de-tartaruga resulta de cruzamentos entre o persa negro e o persa creme ou ruivo. Seu corpo é rechonchudo e as patas, curtas. A cabeça é redonda e grande e a pelagem comprida e espessa.
  Suas três cores (preto, vermelho e creme) devem ser bem diferenciadas. O persa escama-de-tartaruga lembra o escama tricolor europeu. Seu corpo maciço é recoberto de pelos longos e sedosos. As outras variedades diferem na cor das malhas. As do persa escama-de-tartaruga azul e branco são branco-cinzentas. A pelagem do persa escama-de-tartaruga branco apresenta quatro cores, sendo o preto, o ruivo e o creme bem distribuídos e nitidamente separados do branco.


Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnívora
Família: Felidae
 Características:
Comprimento: cerca de 35 cm
Pelagem comprida e espessa
Corpo maciço


Pequinês o favorito na antiga corte chinesa

Provavelmente oriundo do Tibete, o pequinês foi durante séculos o animal favorito dos imperadores chineses, que impediam sua exportação. Só no fim do século passado, na guerra dos boxers, os europeus descobriram-no após o saque do palácio imperial. Hoje existem duas variedades  de pequineses, uma com pouco menos de 4 kg e outra com até 8 kg. A cabeça é grande em relação ao corpo. O crânio, chato entre as orelhas, alarga-se entre os olhos. O nariz parece arrebitado até os olhos. Apresenta o focinho enrugado e muito curto, e as orelhas, em forma de coração, são caídas e franjadas. Os olhos redondos e escuros são saltados.


  Tem o corpo pesado e os membros curtos, arqueados, com as extremidades peludas. A cauda recurvada sobre o lombo é guarnecida de franjas. Seu pelo longo pode ser vermelho, alourado, cor de areia ou negro.
  Às qualidades estéticas do pequinês alia certo grau de inteligência. É atento, brincalhão e afetuoso. Dentro de casa intromete-se em tudo. É preciso, porém, ter cuidado com seus olhos, que são frágeis; muitos deles ficam cegos.
Temperamento do Pequinês
 O pequinês possui uma personalidade corajosa que não vai começar uma briga, mas não vai recuar diante de qualquer um. Ele tende a ser indiferente com estranhos. Além de ser extremamente devotado a sua família, mas é independente e não é excessivamente afetivo. Sua teimosia é lendária. Apesar de brincalhão com os membros da família.



Como cuidar de um Pequinês

O pequinês adora um passeio ao ar livre, mas ela é igualmente feliz ao brincar dentro da casa. Ela pode facilmente morrer por não suportar o calor. Ele deve ser mantido em um ambiente com ar condicionado em dias quentes. É um cão ideal para apartamentos. Os pelos precisam ser penteados no mínimo semanalmente e se possível com mais frequência. O focinho deve ser limpo diariamente para evitar a infecção. A pelagem ao redor da bunda deve ser inspecionada diariamente quanto para remover sujeira e os cachorros da raça pequinês tendem a roncar, pois são cães braquicefálicos.

 Saúde do Pequinês

Principais preocupações: nenhuma
Preocupações menores: palato mole alongado, narinas estenotipas, ceratoconjuntivite seca, luxação da patela, disticiasis, triquíase, dermatite de dobra da pele
Ocasionalmente visto: litíase urinária
Testes sugeridos: joelho, (olho)
Esperança de vida: 13-15 anos
Nota: a raça é sensível a anestesia e não tolera bem o calor. Ela também é propensa a abrasão corneana. Filhotes muitas vezes devem ser retirados por cesariana.

Filo: Chordata
Classe:  Mammalia
Ordem:  Carnívora
Família: Canidae

 Características:
Peso: uma variedade -
macho; 2 a 4 kg
fêmea; 3,5 a 4 kg
outra variedade -
macho; 4 a 8 kg
fêmea; 5,5 a 8 kg


segunda-feira, 16 de maio de 2016

Saiba mais sobre o cio nos animais

Apenas as fêmeas entram no cio, geralmente, a partir dos seis meses de vida. O cio é a ovulação da fêmea, o que revela sua capacidade de procriar. Quando a fêmea está no cio, exala um cheiro diferente, vindo de seus hormônios, e os machos vão atrás dela para acasalamento.
O cio vem de 6 em 6 meses, no geral. O dono deve pensar, primeiramente, se vai querer que sua cadela  ou sua  gata  tenha filhotes. Se quiser, o ideal é  o acasalamento .

Cio nos cães


Cadela no cio 

Duas vezes ao ano as cachorrinhas mudam radicalmente de comportamento. Ficam quietas, deitadas em um canto sem querer brincar e não comem direito, ou ficam muito eufóricas, loucas para fugir de casa e aproximar-se de um macho. Os dois casos são exemplos clássicos do período do cio, época em que o animal está pronto para cruzar e procriar. É nessa fase que os tutores devem ficar atentos para evitar uma gravidez indesejada.
Durante 14 dias, duração média do cio em cães, acontece um pequeno sangramento, que não é o mesmo que a menstruação feminina. Nos animais o sangue indica que o útero está pronto para receber o sêmen e gerar filhotes

Cio nos gatos

Gata no cio 


A cada 21 dias as gatas entram no cio. Bem diferente das cachorras, as bichanas têm várias épocas propícias à cruza. A produção de óvulos depende da luminosidade, então os ciclos acontecem durante o verão.  As gatas que ficam dentro de casa muito expostas à luz também podem ter cios durante o inverno.
As gatas não têm sangramento e, por isso, fisicamente não é tão simples perceber quando estão no período fértil. Mas, se o tutor prestar atenção no comportamento do animal, vai ver que elas ficam mais manhosas, sensíveis, passam a se esfregar nos móveis e miam de forma diferente.

Os riscos do uso das injeções para inibir cio em animais


Os medicamentos injetáveis utilizados para evitar que cadelas e gatas entrem no cio podem ser comprados em lojas de produtos para animais.  Esses medicamentos são compostos à base de hormônios que irão inibir o aparecimento do cio. Não é recomendável o uso desses medicamentos devido aos graves efeitos colaterais que eles causam.
Os medicamentos para inibir o cio são à base de hormônios que atuam diretamente no sistema endócrino das gatas e cadelas. Os comprimidos para inibição do cio agem da mesma maneira. Quando aplicados repetidas vezes podem causar tumores de mama, infecções uterinas e diabetes.
Além disso, esses medicamentos podem provocar aumento excessivo do peso. Mesmo com uma única aplicação, comprovadamente colocam em risco a saúde reprodutiva de cadelas e gatas, com redução da fertilidade. As cadelas, por exemplo, não devem procriar antes do segundo ciclo normal depois da aplicação.
Um detalhe essencial: estes medicamentos não fazem o cio acabar! O que pode acontecer caso a gata ou cadela cruze durante este período em que receba uma dose deste tipo de medicamento é a diminuição das chances da fertilização.
Quando aplicados durante a prenhez, esses remédios podem matar os filhotes e causar infecções graves, levando a cadela ou gata a perder o útero devido às complicações.
A castração cirúrgica é, até o momento, a forma mais segura para evitar os cios e para o controle da natalidade entre os cães e gatos!

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Inverno chegando cuidados especiais para seus pets

O inverno nem chegou, mas as temperaturas já começaram a cair. Nesta época do ano, assim como os humanos, os cães e os gatos  também sofrem com o frio e, para que eles fiquem livres de doenças, é preciso tomar alguns cuidados especiais.

Cachorro e gato no inverno 

Cães

Doença típica do inverno: Traqueobronquite, conhecida como Gripe Canina ou Tosse dos Canis
Sintomas: Parecidos com os da gripe humana, espirros, falta de apetite e tosse normalmente seca que pode evoluir para catarro.
A melhor forma de prevenção é a vacinação. Como a doença é transmitida pelo contato, a vacinação é ainda mais importante para quem tem mais de um animal. Se o animal do vizinho estiver doente, o seu pode contrair a doença mesmo estando dentro de casa.
As infecções por vírus são mais brandas e normalmente não precisam de um tratamento específico.  Porém, em alguns casos quando a infecção é causada por bactéria, principalmente a Bordetella, o quadro é mais grave e pode evoluir para pneumonia se não tratado corretamente.

Gatos

Doença típica de inverno: Rinotraqueite, mais comum em filhotes
Sintomas: secreção nasal e ocular, dificuldade de respirar, febre e desidratação.
Transmitida pelo contato entre animais.
Prevenção: Vacinação contra o herpesvírus, que é o vírus responsável pela doença. É importante também desinfetar o ambiente e os utensílios do gatinho doente.

Artrose


Com o avanço da medicina veterinária, os animais em geral estão vivendo mais tempo e consequentemente, o número de animais com doenças relacionados à idade também cresceu. No inverno, além das doenças respiratórias, os problemas mais comuns apresentados pelos cães e gatos idosos são os relacionados a ortopedia, que afetam principalmente sua qualidade de vida, já que a dor é mais intensa durante as baixas temperaturas.

A mais comum das doenças ortopédicas é a Artropatia Degenerativa ou Osteoartrose, ou simplesmente Artrose, doença que pensava-se ser exclusiva dos seres humanos até há pouco tempo. Na artrose, a cartilagem sofre alterações degenerativas e perde a capacidade de absorver e distribuir impactos, o que resulta em dor nas articulações. Consequentemente os bichinhos ficam mais quietos e relutantes a andar,  brincar, correr, subir escadas, etc.

É importante lembrar que a artrose é uma doença crônica, ou seja, o animal não ficará curado completamente, e qualquer tipo de tratamento terá como finalidade controlar a dor, melhorando assim sua qualidade de vida. Os tratamentos podem ser baseados em medicamentos ou até mesmo em sessões de fisioterapia.

Escovação

No caso de animais que usam roupinhas para proteção contra o frio e têm pelo grande, manter uma escovação constante é importante para prevenir contra a formação de nós que levam a lesões de pele comuns da umidade.

Desidratação

No frio a sensação de sede diminui e é importante cuidar da hidratação dos animais. Os gatos são mais propensos a desenvolverem cálculos nas vias urinárias, devido principalmente à baixa ingestão de água. É importante observar seus costumes e descobrir qual a maneira que eles mais gostam de beber água: alguns gostam de beber em tigelas e outros direto na torneira, por exemplo. Incentive então o bichano a beber bastante água e mantenha uma dieta mais úmida.

No inverno, evite passeios nos dias muito frios e banhos muitos frequentes principalmente nos animais mais idosos. Outros fatores que podem causar tosse nos cães são friagem, odores muito fortes (tintas, solventes, produtos de limpeza, etc) e alergias a ácaros ou pólen. Animais nessas condições são mais sensíveis e consequentemente mais suscetíveis à doenças. Esteja então em dia com as vacinas.

É importante ainda que todos os animais tenham uma casinha ou um lugar coberto para dormirem. Cães que dormem ao relento são os primeiros candidatos a desenvolverem doenças respiratórias.


sábado, 7 de maio de 2016

Homenagem para todas as mães do Brasil

Dia das Mães



Mãe forte valente
Não tem medo do que vem pela frente
Mãe corajosa, atenciosa e amorosa
Mãe você é a luz da nossa vida
Você nos traz calor e alegria
Quando estou com medo só penso em uma pessoa... mãe
Quando vi você pensei comigo...
Essa vai ser minha mãe minha luz e meu abrigo, meu aconchego e meu sentido da vida
Porque sem você ninguém pode vir ao mundo
Mãe é uma pessoa especial dentre todas as pessoas do mundo
Mãe é alegria, amor, confiança e calor.
Vinicius Felipe Ghietti




quinta-feira, 5 de maio de 2016

O que significa Pedigree?

A palavra pedigree é uma palavra de origem inglesa que por sua vez vem do francês pied de grue. Em português pied de grue pode ser traduzido literalmente como “pé guindaste”. Entretanto, podemos entender como uma expressão que significa árvore genealógica.
O pedigree comprova que o cachorro é de raça pura, nele consta o nome, sexo, raça, cor, número do registro, data de nascimento, nome do criador, proprietário, data do registro além da linhagem, com o nome e sobrenome dos pais, avós e bisavós, você terá segurança se resolver um dia acasalar o seu cachorro, com o pedigree em mãos, não há risco de cruzamentos consanguíneos.


Qual é a importância do Pedigree?

Comprovar a precedência do filhote é a principal função do Pedigree
Esse documento, além de ter a função de registrar a árvore genealógica da ninhada, também funciona como um título de propriedade, ou seja, indica que aquele animal é de determinada pessoa.
A grande importância do Pedigree é garantir que os filhotes não possuem nenhuma falta de acordo com o padrão de cada raça e, por consequência, sejam registrados como raça pura. Justamente por isso, criadores que não oferecem o Pedigree podem ser mal vistos, afinal, não têm como garantir a precedência do animal.
O Pedigree também é fundamental para quem deseja levar seu pet a exposições, pois apenas assim ele poderá participar. Inclusive, caso haja algum campeão em sua árvore genealógica, isso é informado no registro. Entretanto, caso o animal possua desvios comportamentais, como agressividade, ele tem seu documento carimbado e, dessa forma, é impedido de procriar.
Esse documento, além de ter a função de registrar a árvore genealógica da ninhada, também funciona como um título de propriedade, ou seja, indica que aquele animal é de determinada pessoa.

Informações presentes no Pedigree

O Pedigree deve possuir as informações do pet, de seus ascendentes, do proprietário e também do criador
O Certificado de registro Genealógico tem o mesmo valor que qualquer outro documento de garantia. Ele deve possuir a raça do animal, o sexo, o peso, o tamanho, a variedade, a cor e o tipo da pelagem definidos; o nome do proprietário; o nome do criador; o nome do pet e de seus ascendentes até a terceira geração.

O padrão de cada raça é dividido em genótipo e fenótipo, conforme explicado a seguir.

a) Fenótipo
O fenótipo é um conjunto de todas as características físicas da raça e apenas os animais que estão perfeitamente de acordo com o padrão são considerados de determinada raça.

b) Genótipo
As características físicas do animal são visíveis, ao contrário da genética. É através dos ascendentes de cada ninhada que é possível ter ideia sobre as heranças de temperamento, comportamento e saúde dos filhotes.
Muitos criadores encarecem bastante o valor do filhote quando o mesmo possui Pedigree. Em contrapartida, existem outros que mantêm o mesmo valor.

Como adquirir o Pedigree



Para registrar seu pet, compareça ao Kennel Clube de sua região
Para adquirir o Pedigree, o criador deve registrar a nova ninhada através do Kennel Clube ou um clube de raças específicas. Nesse momento, é emitida a tarjeta – documento que garante a propriedade do animal – e, cerca de 30 dias depois, o canil recebe os Pedigrees de cada filhote.
Com o propósito de evitar o processo de transferência do animal ao novo proprietário, existem canis que só registram o pet após a compra ser realizada. Caso contrário, a transferência é necessária e o dono do animal deve comparecer ao Kennel Clube de seu Estado para que a instituição emita um novo documento com seu nome nele.
A única entidade de Cinofilia reconhecida no exterior é a CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia). Por isso, é recomendado registrar a ninhada apenas em instituições filiadas a ela, que podem ou não ser específicas para determinada raça. Confira algumas:

ACB – Associação Cinológica do Brasil;
Sobraci – Sociedade Brasileira de Cinofilia;
Kennel Vale Clube;
Kennel Clube São Paulo;
Clube Paulistano de Cinofilia;
Kennel Clube do ABC;
Clube Paulista do Labrador;
Clube Paulista do Akita;
Collie Clube Paulista
Dobermann Clube São Paulo;
Kennel Clube de ibeirão Preto;
Marília Kennel Clube;
Associação Paulista do Rottweiler;
Clube Paulista do Boiadeiro Bernês;
Dálmata Clube de São Paulo.

Os pré-requisitos para registrar uma ninhada são:
Os pais devem possuir Pedigree.
O nome do atual proprietário deve constar no registro da cadela (mãe).
O dono da fêmea precisa registrar um canil junto a uma das instituições competentes.
Após o acasalamento, o proprietário da fêmea precisa comparecer a uma das entidades para retirar 3 tipos de documentos: um para abertura do canil; outro para uma proposta de sócio; e, por fim, um mapa de ninhada. Os documentos exigidos devem ser entregues em um prazo máximo de 90 dias após o nascimento da ninhada, junto ao pagamento das respectivas taxas. Após isso, a instituição tem um prazo de 60 a 90 dias para emitir o Pedigree.
Quem possui um pet de raça pura que não está registrado pode retirar um certificado de registro através do CBKC. Para isso, basta se dirigir até o Kennel Clube de sua região para que os árbitros avaliem o animal e aprovem a emissão do certificado.
Em 2004, tornou-se obrigatória a implantação de microchips em todos os cães de raça pura e registrados.



segunda-feira, 2 de maio de 2016

O aplicativo Puppy Look, reúne dados do seu pet criando agenda eletrônica

O Puppy Look é um aplicativo gratuito voltado para todo o mercado de produtos e serviços pet. Inteiramente desenvolvido por brasileiros, o app diferencia-se por possibilitar a criação de um perfil para o pet do usuário, com informações que irão auxiliar o dono a lembrar dos dias para tosa, banho e vacinas, além de facilitar a busca por hotéis para animais, passeadores de cães e serviços em alta, como o lar temporário, no qual uma pessoa oferece a própria casa para ficar temporariamente com um animal por um valor combinado.

Aplicativo Puppy Look
O mais legal de tudo isso é que a cada compra ou contratação de um serviço por meio do aplicativo, R$1,00 será doado a ONGs que cuidam de animais abandonados ou que sofreram maus tratos. A Focinho Abandonado foi a primeira registrada, vale lembrar que a empresa responsável pelo desenvolvimento do aplicativo pretende, num futuro próximo, realizar pesquisas para escolher outras ONGs adequadas para o recebimento dessas doações.

Criado pela Smart Moving Mobile com o intuito de fornecer uma plataforma de conveniência para pessoas que possuem ou gostam de animais de estimação, o app oferece ambiente colaborativo e uma ideia pautada na solidariedade. A priorização dos smartphones foi consequência de sua popularização. É possível adquirir o app em seu celular ou tablet, o download pode ser realizado tanto por usuários do Android quanto iOS.



O Brasil é o segundo maior país do mundo em mercado pet, perdendo apenas para os Estados Unidos. Mesmo com a crise, em 2014 o setor apresentou crescimento de 8% e faturou quase 17 bilhões. Em 2016, estima-se que o mercado continue em alta. Esses tipos de dados demonstram que os brasileiros colocam a mão no bolso a fim de proporcionar tudo de melhor que há para seus animais de estimação.

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...