quinta-feira, 29 de junho de 2017

Pilhas e baterias um perigo para os animais

Hoje em dia, as pilhas e baterias são muito usadas dentro de casa e seu descarte não pode ser feito de qualquer maneira. O grande número de pilhas e baterias (e a ausência de áreas adequadas de descarte) predispõem não só a contaminação ambiental, como também aumenta o risco do contato dos animais de estimação com esses produtos tóxicos, pois muitas vezes um grande número desses objetos é descartado em lixos domésticos.


As baterias mais perigosas



 As baterias que são mais  perigosas   são aquelas em forma de botão, porque elas podem ser facilmente ingeridas   por cães e gatos , especialmente se elas forem grandes, as pilhas e baterias são todas perigosas.

No caso da bateria botão, há um risco acrescido, já que o animal pode vir a aspirá-la pelo nariz. Mas em geral, todas elas podem causar acidentes. Portanto, a primeira coisa a fazer é mantê-las fora do alcance de nossos amigos.

Sintomas


Os sintomas podem incluir o seguinte:
Dor e queimação na boca, ou ao longo do trato digestivo;
Vômitos e diarreia;
Babar;
Dificuldades respiratórias – se o objeto ingerido se alojar no trato respiratório;
Espasmos;
Apatia e fraqueza.

 Muitos destes sintomas são difíceis de serem percebidos, já que os cães e gatos não podem falar e, não podem, portanto, nos dizer como se sentem.

O que fazer se seu pet  ingeriu pilhas ?



Caso você perceba que seu animal pode ter engolido ou mastigado um desses materiais, ele deve ser levado com urgência ao atendimento médico veterinário para início do tratamento. Lembrando que a prevenção é o melhor tratamento. Então, não deixe pilhas e baterias ao alcance dos cães e gatos.

terça-feira, 20 de junho de 2017

Aprenda de maneira simples a fazer seu gato dormir á noite

Um gato que passa a noite acordado é o pesadelo para qualquer dono. Você chega em casa cansado depois de um dia de trabalho e tudo que você quer fazer é descansar e ter uma boa noite de sono .



Porque é que o gato me acorda à noite?

Se o seu gato sofre deste problema não se preocupe: é natural. Apesar da domesticação do gato  a natureza dele  é  noturna . Assim, tendem a ser mais ativos ao final da tarde e durante a noite.

Quais são as faixas etárias mais afetadas?

Este problema é mais comum em gatos bebés e adolescentes uma vez que têm elevados níveis de energia. Com o amadurecimento, às 12 a 18 semanas, os gatos tornam-se mais calmos. No entanto este comportamento mantém-se em alguns gatos adultos.


Como fazer seu gato dormir á noite

 A cama do felino deve ser colocada em um local aconchegante. Procure um lugar seguro e que não seja frio, mantendo um ambiente acolhedor para o gato dormir.

 Para os gatos ter uma noite de sono compatível com a sua, procure brincar com ele no inicio da noite. Atividades antes de dormir ajudam a gastar um pouco mais cedo a energia noturna e proporcionar um bom descanso.

 Acostume o gato com sua rotina, estabeleça regras, que devem ser firme. Crie situações que estimulem a disciplina, como fechar a porta do quarto no período da noite.
Muitos felinos acordam seus donos mais cedo em busca de comida, como solução procure considerar de colocar um tratador automático.



 Brinquedos silenciosos ao redor do ambiente, estimulam com que o gato gaste suas energias antes de dormir. Evite deixar brinquedos de cordas quando não estiver perto. Uma dica é deixar petiscos escondidos, influenciando o instinto de caça.

Utilize os minutos livres antes de dormir para estimular os instintos do felino brincando. O tempo livre com seu animal, pode garantir uma ótima noite de sono para ele.
 Estimular o gato a noite com incentivos por comportamentos indesejados  , faz com que o felino acabe se acostumando. Ceder aos pedidos do felino, como alimentar tarde da noite, ou mesmo estimular ele com os pés, quando estiver na cama, podem representar uma recompensa para o felino.



segunda-feira, 12 de junho de 2017

Veja como criar aves silvestres de forma legal

De forma geral, aves são uma boa opção de animais de estimação para quem não tem tempo ou disposição para passear com cães, ou é alérgico a gatos, por exemplo. Também podem ser preferência de quem não tem muito espaço dentro de casa.

Mas, apesar de muitos desses animais serem naturais da fauna brasileira, é preciso obtê-los dentro da legalidade, porque isso garante não apenas um exemplar de boa saúde, mas também rechaça o tráfico de animais. Já no caso de aves exóticas, ou seja, que não são naturais da fauna do País, o comércio ilegal e o contrabando, além de predatórios, podem causar efeitos negativos nos ecossistemas brasileiros.




A Legislação Brasileira prevê proteção aos animais silvestres, sendo que qualquer pessoa que esteja de posse destes animais sem a devida comprovação da origem é considerada infratora. Esta pessoa fica sujeita à Lei 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, de Crimes Ambientes.


Regras  para se adquirir  um pássaro de forma legal

1 - CRIATÓRIOS AUTORIZADOS: Aves legais são provenientes de criadouros comerciais devidamente autorizados pelo IBAMA, verifique junto a este órgão, no seu Estado, se o criatório ou estabelecimento comercial de onde a ave vem é devidamente credenciado, possui uma Autorização de Manejo e está em situação regular;

2 - NOTA FISCAL: Aves legais são vendidas, sempre, com nota fiscal, documento que será a prova, juntamente com o Certificado de Origem, de que sua ave está regularizada;

3 - CERTIFICADO DE ORIGEM: A partir de março de 2015, a legalidade das aves somente será comprovada mediante a apresentação do Certificado de Origem, que é um documento emitido pelo sistema Sisfauna do IBAMA, além da respectiva Nota Fiscal;



4 – PREÇO: Aves legais exigem gastos elevados para serem produzidas comercialmente, pois são muito bem tratadas em todas as etapas de seu desenvolvimento. Esta é a única forma de se sustentar um criatório legalmente. Portanto, fique muito atento a preços demasiadamente baixos, são um indicativo de uma possível proveniência ilegal;

5 – ANILHA: Atente cuidadosamente à anilha do animal, aquele anel metálico que deve ser colocado na patinha do filhote ainda pequeno. Criadores legalizados vendem aves com anilhas fechadas, sem nenhuma abertura ou corte. Antes de adquirir seu animal, verifique se a anilha tem sinais de qualquer abertura, rachadura, quebra, ou se é a chamada "anilha bambolê", que fica folgada na pata da ave, permitindo sua colocação no animal adulto que não nasceu em um criatório - indício de proveniência ilegal.

Várias espécies de animais, no entanto, já são consideradas como de estimação e, portanto, não precisam ser adquiridas de criadouros legalizados, como é o caso de Canários, Calopsitas, Periquitos, Hamsters, Chinchilas entre outros.









terça-feira, 6 de junho de 2017

Como descobrir a idade do seu gato de maneira simples


Conhecer a faixa de idade em que está o seu animal de estimação é importante, pois ajuda você a tomar decisões sobre quais são as necessidades especificas que ele tem, por exemplo, em questão de alimentação, exercício ou higiene .



Como calcular a idade do gato

O método mais aceito para se calcular a idade de um gato é contar 15 anos no primeiro ano de vida, em seguida adicionar mais 10 pelo segundo. Depois disso, basta adicionar 4 anos para cada ano de vida do gato.

Pra aplicar essa conta é preciso saber antes de tudo a idade do seu gato. Mas, isso se torna difícil caso tenha adotado ou achado ele na rua. Caso não saiba a idade do seu gato, existe um método que pode auxiliar a partir da observação do desenvolvimento dos dentes do seu gato:


Os dentes permanentes são de cor branca e indicam que seu gato tem pelo menos 16 semanas de vida, se os dentes de trás já apresentam manchas amareladas (tártaro), ele deve ter  1 a 2 anos de idade.

 Se todos os dentes tem formação de tártaro a idade estimada é de 3 a 5 anos. Entre 5 e 10 anos os dentes costumam exibir mais desgaste, e entre 10 e 15 anos o gato já pode ter perdido alguns dentes e apresentar muito tártaro!


Dessa forma, após saber em média a idade do seu gato, o calculo comparado com a idade humana, será da seguinte maneira, como explicado anteriormente:




Calculador da idade do gato 

sábado, 3 de junho de 2017

Como dar banho no seu cachorro em casa de maneira simples e fácil

Cuidar da higiene dos cães em casa é uma prática bastante comum, seja por economia ou por opção mesmo. Mas para os donos que preferem dar banho nos seus animais de estimação em casa, ao invés de levá-los ao pet shop, é necessário ter alguns cuidados neste momento de interação com eles.




Qual a frequência de banhos que posso realizar em meu cachorro?

Isso vai depender  de alguns fatores , como  raça, tipo de pele ou presença de problemas dermatológicos, fatores relacionados ao seu estilo de vida ou mesmo a região onde você vive (área urbana ou rural, clima).

Um cão saudável é recomendável no máximo uma frequência semanal, podendo ser prolongado este intervalo, em cães (raças) que não têm a necessidade de tantos banhos, como Pastor Alemão, Akita ou Chow Chow.

Em cachorros com doença de pele, normalmente é recomendado uma maior frequência de banhos, utilizando muitas vezes produtos terapêuticos apropriados (sabonetes, xampus ou loções) para controlar ou tratar algum agravo.

Materiais Necessários



Toalhas, provavelmente uma grande e outras menores
Xampu para cães – use um produto formulado para cães, com pH balanceado; a pele canina tem pH diferente da humana, então usar xampu feito para humanos é errado e vai ressecar a pele do seu animal. É possível encontrar xampu para cachorros em pet shops, no veterinário ou na internet.
Condicionador para cães – use depois do xampu se preferir; siga as instruções na embalagem
Pente ou escova
Biscoitos ou bifinhos para cachorro (opcional, mas ajuda a acalmar o cão)
Escova de dentes e pasta para cães (opcional)
Bolas de algodão para  tampar  as orelhas  durante o banho
Pote pequeno ou balde para despejar água em cima do cachorro (facilita o processo)

Passo-a-passo para o banho em casa




 Escolha o melhor horário e local
Os melhores horários são os momentos mais quentes do dia, para que o animal não sinta tanta diferença no contato com a água, que deve ser morna (facilita a eficácia do shampoo)!
Já o local, pode ser o banheiro ou algum lugar confortável para você e para ele, que tenha fácil acesso à água morna. Evite mangueiras com água fria.

 Utilize os produtos próprios para o banho
Antes de começar o banho  escove bem os pelos  do seu cão .Isso ajuda a tirar os nós   , para cachorro que tem pelo grande , proteja os ouvidos do cachorro com bolas de algodão. Separe os produtos para o banho, que devem ser shampoos e o condicionador especiais para ele!

Cada parte do corpo merece atenção especial
No momento do banho, lave com carinho e delicadeza cada parte do corpo do cachorro. Cuidado com o rosto para não deixar que os olhos, nariz, boca e ouvidos entrem em contato com o shampoo. Lave bem as patinhas, entre os dedos, a virilha e as dobras, além das áreas íntimas.
Faça leves massagens para que o ato seja prazeroso e relaxante para ele também.

Enxágue o shampoo e aplique condicionador se for preciso, para pelos longos serem penteados.
Após o banho, retire todo o produto com água e passe a secar seu cachorro.

Secagem
Caso seu cachorro permita, utilize secador de cabelos, com cuidado para não esquentar muito e também para o barulho não incomodar tanto os sensíveis ouvidos do seu cachorro.
Use a toalha  seca, esfregando-as levemente pelo corpo, principalmente para tirar o excesso de água.  Depois pode fazer a higiene bucal usando a escova de dente e pasta própria  para cão .



Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...