sexta-feira, 10 de março de 2017

Saiba como cuidar de animais com deficiência física

Devido a acidentes ou problemas de saúde, um pet  pode se tornar deficiente físico, apresentando paralisia, cegueira, surdez ou a perda de membros. Algumas pessoas pensam que, com isso, o animal não terá mais qualidade de vida, isso não é verdade .


As deficiências físicas

Cães
Paralisia
A paralisia dos membros posteriores pode ocorrer devido a um problema na coluna do cão, a hérnia de disco. Os sintomas do problema são: não querer andar, andar com dificuldade, permanecer arqueado, não conseguir se levantar, falta de apetite e dificuldade de respirar. Se  notar algo incomum, o tutor deve procurar um veterinário urgentemente.
O médico veterinário mantém o cão em uma gaiola, para que ele não possa se movimentar muito e não sentir dor, e indica uma medicação com analgésicos e anti-inflamatórios.
Para garantir mais qualidade de vida ao cão, o tutor pode incluir sessões de acupuntura e fisioterapia, sendo que em muitos casos o uso de carrinho é indispensável.

Cegueira



São várias as causas da cegueira em cães, incluindo doenças como catarata, glaucoma, lesões de córnea, doenças da retina, diabetes e outras. Se o problema for detectado no início, existem chances de se preservar a visão, por isso, o tutor deve ficar atento, observando se o cão lacrimeja excessivamente, se tem coceira na região dos olhos, olhos vermelhos e piscadas exageradas.
Para garantir o bem estar do animal, deixe a água e comida à disposição, mantenha os móveis organizados e não deixe de realizar as atividades do cotidiano, como passeios e brincadeiras.

Surdez




Em alguns casos, cuidar bem da saúde dos ouvidos do cão pode prevenir a surdez; em outros, os cães podem ficar surdo devido à idade avançada.
No caso do cão surdo, o dono  deve educar o animal por meio dos sinais com as mãos. Dar o sinal com a mão e oferecer um petisco reforça um comportamento positivo e, após várias repetições, ele entenderá a recompensa.
Para repreender, o dono aponta firmemente o dedo para o cão, com expressão de insatisfação. Depois de várias repetições, o animalzinho entenderá o significado do gesto.

Gato


Paralisia

Muitas vezes o gato  paralítico não consegue urinar sozinho, por isso é preciso estimulá-lo ao menos 4 vezes ao dia. Esse estímulo pode ocorrer de duas maneiras:
Com o polegar + os dedos indicador e médio forme uma letra U. Em seguida encaixe-os com as pontas entre as duas patinhas traseiras (na região das coxas) e massageie. As vezes demora um pouco, mas logo o gatinho começa a urinar. Mas atenção, a massagem não pode ser feita com muita força pois se a bexiga estiver muito cheia ela pode estourar.
Com um pedaço de papel macio (senão pode assar o gatinho) massageie os órgãos genitais do gatinho. Logo ele começará a urinar.

2- Defecando:

Para facilitar que saia o cocô do seu gatinho uma dica é colocar um fio de azeite na ração que você irá servir ao seu bichinho.

3- Fralda:

Se o cocô do seu gatinho estiver bem firme, evite ao máximo colocar fraldas nele, pois é muito fácil de criar assaduras. Caso contrário toque as fraldas com bastante frequência, mantenha a região sempre seca procure passar talco antes de colocar a fralda e passe pomada para assadura quando começar a notar alguma vermelhidão.

Como fazer fraldas:
Para gatinhos filhotes você pode utilizar absorventes femininos para uso diário, para gatos maiores absorvente comum ou fraldas de pano, mas não tire a fita da parte adesiva, pois seu gatinho ficará grudando no absorvente. Com uma tesoura faça um furo para passar o gatinho do bebê e depois vista-o como se estivesse vestindo fralda em uma criança. Para segurar utilize fita crepe ou esparadrapo micropore em torno da cintura, mas nunca esparadrapo comum ou durex, eles irritam muito a pele do gatinho.
Fralda de pano: corte um pano de algodão em uma tira retangular, de preferencia que dê para ficar duas dobras para aumentar a absorção, faça um furo para passar o rabinho e siga as instruções acima. A vantagem da fralda de pano é que ela pode ser mais larga o que evita o contato do esparadrapo com a pele, evitando irritações.
Também existem fraldas especificas para cães e gatos em petshop, mas não há para filhotinhos e o custo é bem alto.

.Cegueira


Gatos são bastante dependentes da visão. Por isso, quando não enxergam bem, precisam de cuidados especiais
Assim como acontece com os humanos, existem gatos que nascem com problemas visuais, enquanto outros os adquirem por doença, acidente ou velhice. Os graus de deficiência da visão variam bastante - podem ir desde uma leve degradação da acuidade visual ou dificuldade para focar imagens até apenas conseguir diferenciar a luminosidade ou, então, atingir a cegueira total. Quando a cegueira é parcial, em um único olho, fica difícil calcular a que distância estão os objetos. Com isso, a locomoção é prejudicada, especialmente nos saltos, reduzindo a agilidade.
Com a ausência ou a diminuição da visão, o cérebro se transforma para privilegiar outros sentidos. Ganham importância principalmente o olfato, a audição e o tato. Na nova condição, a memória também passa a ter maior destaque. Infelizmente, gatos idosos não podem contar tanto com essas adaptações - sua plasticidade comportamental e neurológica costuma ser limitada.

Surdez



Os gatos são muito independentes e essa característica típica desses animais dificulta saber se nosso bichano é surdo. Todos os felinos costumam nos ignorar diversas vezes quando os chamamos e nos deixam na dúvida se o fazem por ignorância ou por surdez.
A surdez em gatos é mais comum do que imaginamos e nem sempre é um problema genético, podendo ser causada por alguma doença ou simplesmente pela idade avançada.
Como saber se o seu gato é surdo
Existem diversos meios de detectar se um gato perdeu a audição, além do fato de ele nos ignorar de vez em quando.

Repetir o mesmo gesto. Se deseja que o seu gato o entenda, você deverá utilizar sempre os mesmos gestos de forma coerente. Se você repetir o sinal com as mãos nas mesma situações, ele acabará entendendo. O gato é um animal inteligente e observador, portanto, aprenderá a fazer a associação e, com paciência, você conseguirá uma boa comunicação.

Não o deixe sair de casa. Para poder cuidar de seu gato surdo adequadamente é imprescindível não deixá-lo sair de casa. Se o exterior já é perigoso para um gato sem dificuldades, imagine para o seu gato que não pode escutar os perigos da rua como, por exemplo, a buzina de um carro.

Chame sua atenção sem ser brusco. Se quer chamar a sua atenção, pode fazê-lo pisando no chão para que note a vibração, ou pode usar a luz de uma lanterna. Mas não o faça bruscamente porque poderia afetar seu caráter.
Use o mesmo perfume. Ter um perfume habitual é uma boa ideia para que ele associe esse cheiro a você. Potenciar a vista e o olfato é fundamental para poder brincar e comunicar-se com ele.

Linguagem não verbal e expressões faciais. Fale com seu gato como se ele pudesse ouvi-lo(a), não hesite em exagerar sua linguagem corporal ou suas expressões faciais para que seu felino entenda como você se sente ou o que deseja lhe transmitir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Estou aqui para agradecer a você...
Sua gentileza por tirar um tempo para deixar um comentário
Muito obrigada sua opinião é importante .

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...